domingo, 20 de setembro de 2015

Situação preocupante: Servidores contratados estão sem receber há quase quatro meses

 New Cumbre

O servidores que prestam serviços em regime de contratos temporários para prefeitura de Araioses estão há quase quatro meses sem receber seus proventos, pois   paga-se uns e outros não. Assim uns recebem  um mês, ficam dois.  Outros servidores recebem um mês  ficam três, a véspera de completar quatro. São servidores das Secretarias de Administração, Saúde e ação social. 

É muito preocupante já que não se tem informações na secretária de administração e nem na de Finanças, a regularização e nem a previsão do pagamento. Sem ter a quem recorrer, já que se falarem ou comentarem perderão seus postos de trabalho. 
Mesmo, assim alguns  relataram que estão sem receber há quase 04(quatro) meses e não sabem mais o que fazer para garantir o sustento de suas famílias, pois o comércio suspendeu seus créditos. Com foco voltado para Santa Quitéria, que está em ebulição, Manim Leal pai e assessor da prefeita e que na pratica é o prefeito de fato,  ausente do município,   não  há  resposta para essa situação que poderá   virar um caos social. 

A situação  que estão passando, os servidores contratados é um reflexo da falta de respeito com os araiosenses, pois são submetidos a mordaça, já que não podem reclamar, pois serão exonerados. Suas cargas horárias são superiores aos dos servidores da carreira e não tem a quem recorrer, já que o sindicato tem o foco voltado aos seus associados e que a solução seria chamar os excedentes do concurso. 

Embora tenha sido obrigado a fazer o concurso publico, para preencher as vagas dos contratos temporários. Segundo o presidente do SINDSEPMA o levantamento feito pela Instituição, nas áreas oferecidas pelo concurso chega a mais de duzentos, desrespeitado a orientação do MP que solicitou a suspensão de todos os contratados. Para  o Professor Arnaldo o município tem que chamar todos os excedentes do concurso e preencher vagas existente e conclui  que serão tomadas as providências necessárias. 

 Os  servidores da carreira que  passam por dificuldades financeira,  não podem negociar suas dividas com o banco conveniado com o município, porque a administração Leal, está inadimplente com o banco que suspendeu  novos contratos  aos servidores. Informações não oficiais da suposta  dívida junto ao Bradesco, referente empréstimos consignados, podem chegar a meio milhão de reais. 

O sindicato reclama o não repasse das contribuições  ao INSS da maioria dos servidores e o não repassa ao sindicato das contribuições de seus associados em atraso há vários meses. Também cobra  o Imposto Sindical obrigatório descontado no mês de março  que está retido "nos cofres da prefeitura”, além disso,  há   centenas de ações e precatórias a serem pagos. 

Mesmo assim, Valeria tem uma situação cômoda, pois tem 02 (dois) terços dos treze vereadores, que estão surdos e mudos ao clamor social que está se instalando no município. Contando apenas com os repasses constitucionais do dia 10,20,30. Sem planejamento, o governo de Valéria que ainda não disse a que veio fazer, pois ao longo destes quase três anos de governo não é visível as  suas ações no município. 


O SINDSEPMA, como instituição representativa em defesa aos interesses dos servidores, vem sofrendo retaliações com retenção do dinheiro descontado na folha de pagamento de seus associados que não é repassado para entidade. Há quem diga que: o objetivo único é enfraquecer o movimento sindical. 

Mesmo assim a direção da entidade tem se mantido forte e unida, sem se render aos caprichos da politicagem implantada. Manim tem encontrado dificuldades em governar ao seu estilo “aplicado em Santa Quitéria”. Pois aqui encontrou intuições sólidas e um povo que conhecem  e luta por seus direitos. Uma justiça que faz justiça, e cidadãos que não perdoa os maus tratos e sabe responder na hora certa.
Postar um comentário