quarta-feira, 18 de maio de 2016

Tempestade para justificar o não repasse das sobras do FUNDEB aos servidores da educação


A matéria bombástica no site da secretaria de educação já estava previsto, trata-se do ajuste do FUNDEB  que acontece todo ano. Referente   aos  10 %  retidos pela União  para  supostas emergências  e repassado a diferença  como auxilio do reajuste do piso  no mês de abril, as vezes integral outras com deduções, não comprometem  os resíduos do FUNDEB 2015 no valor de 2.122.365,03 repassado em 29/01/2016. Mas,devido a mudança de governo foi repassado em 18 de maio conforme demonstrativo no site do banco do Brasil. A completação  R$ 1.036.923,47 mensal, deverá ser repassada normalmente  como estabelecido na Portaria Interministerial 8/2015.

 Tudo nos leva a imaginar que com a manchete: "CONFISCO DOS RECURSOS DO FUNDEB - EIS A BOMBA DO DIA!" nada mais é que uma estratégia da Secretaria de Educação através de sua assessoria de comunicação, para alardear e justificar o não repasse dos resíduos de 2015 aos servidores da educação e ainda supostamente acusar a direção do SINDSEPMA, pelo MOVIMENTO DE PARALISAÇÃO dos dia 16,17,18. Se essa foi a intenção, escalaremos que   nosso movimento foi legítimo, sendo que  não estava vinculado apenas a cobranças dos resíduos do FUNDEB, mas tinha pauta própria de reivindicações deliberada e aprovada em Assembleia Geral .

Não adianta justificativas para o injustificável, pois se há preocupação  e responsabilidade no uso do dinheiro público como justificar os gastos  com festas,  comprometendo o bom funcionamento das escolas que encontram-se em  condições precárias, pois falta-lhes o básico: material de limpeza, material didático de apoio ao professor e aos alunos, impressoras sem funcionar, há inclusive relatos de diretores que fabricam detergente com sabão de pedra passado ao liquidificador. 

No entanto não  descuidaram de fazer um mega evento com prêmios de  fogões, geladeiras , maquinas de lavar  etc ,   não  que as mães não mereçam, mas pra quem vive reclamando da falta de recursos é  no minimo contraditório,  
Estimula  a imaginação dos mais atentos  que analisam essas festas com objetivo único  da promoção pessoal da prefeita de olho na reeleição em 2016, pois nunca o dia das mães foi tão festejado, se olharmos para os anos anteriores. Em 2013 ofertaram apenas um corte(tecido), 2014 uma toalha de banho, 2015 um a tolha de rosto e agora em 2016  ano eleitoral, premiações  valiosas.  Fica a pergunta:  Tantas festas e tantos sorteios de tantos prêmios não comprometerá o orçamento ? Será  que o  dinheiro  gasto com essa ostentação, não provém  dos repasses do INSS, dos Consignados,  que  são retidos  e não repassados? Esse dinheiro não fará falta mais adiante? Pra quem aconselha tanto que o servidor "não faça gastos além do essencial, pois o cenário não é favorável....." E agora?







Postar um comentário